Conheça as mulheres que receberam o Prêmio Anita Garibaldi

18.7.2019

Evento homenageou italianas e descendentes, marcando também dois importantes fatos: o encerramento da 1ª Festa da Itália e a conclusão da gestão do presidente Benoni Manfrin

 

Membros da Associação Giuseppe Garibaldi (Foto: Eliel Ramos)

 

 

A 1ª Festa da Itália deixou um legado nas histórias da Associação Giuseppe Garibaldi e do Palácio Garibaldi, bem como na vida das mulheres que receberam o Prêmio Anita Garibaldi. A premiação foi um reconhecimento pelo destaque ou influência que elas exercem, elevando o papel feminino tanto em Curitiba como na Região Metropolitana (RMC).

 

A homenagem marcou o encerramento da 1ª Festa da Itália, em 28 de junho. Ao todo, 11 mulheres foram homenageadas. Além disso, a noite também representou a conclusão do mandato do então presidente da Associação Giuseppe Garibaldi, Benoni Constante Manfrin. No dia 1º de julho, Cida Borghetti, ex-governadora do Paraná, assumiu a presidência e Manfrin a vice-presidência para o triênio 2019-2022.

 

Valorização

 

Vale ressaltar que o papel das mulheres na sociedade e a igualdade são temas amplamente debatidos na atualidade. Nesse sentido, a entidade quis lembrar que em todos os tempos elas estão envolvidas em momentos e decisões históricas.

 

“Foi um evento especial porque nós temos reconhecido muito pouco o trabalho das mulheres”, apontou Benoni Manfrin. Segundo ele, as mulheres são extremamente importantes para a sociedade, mas ainda são alvo de muita injustiça.

 

Então, o Prêmio Anita Garibaldi nasceu como uma forma de valorização. “O mundo tem sido muito cruel, a violência tem afetado tanto as mulheres que sentimos a necessidade de mostrar que nós precisamos valorizá-las porque são, realmente, heroínas. Foi uma honra fazer essa homenagem”, comentou ele.

 

Benoni Manfrin (Foto: Eliel Ramos) 

 

 

Tradições e cultura

 

Cida Borghetti falou sobre a importância de um evento em homenagem às mulheres. “A participação das mulheres na imigração italiana, na construção do novo Brasil, foi fundamental, principalmente na região sul”. Ela lembra que faz parte de uma família de imigrantes italianos que chegou ao país há mais de 100 anos.

 

Para Cida, o Prêmio Anita Garibaldi é uma oportunidade de prestigiar mulheres da sociedade que contribuem e fomentam a cultura italiana.

 

Cida Borghetti (Foto: Eliel Ramos) 

 

 

Felicidade, emoção e orgulho

 

A médica geriatra Valderez Parolin Teixeira foi a homenageada na categoria Saúde e Medicina. Ela falou sobre o pioneirismo tanto das premiadas como da própria premiação. “Eu me sinto muito honrada e feliz porque nós somos as pioneiras e esse é um evento pioneiro”, disse. 

 

Para ela, a premiação honrou a história dos seus antepassados. “Nós estamos aqui honrando os nossos ancestrais, que plantaram uma semente e que viveram aqui, e transmitindo para eles tudo o que deve ser transmitido em termos de trabalho, de ética e de tradição”, destacou.

 

Darley Antonio Parolin, pai de Valderez e que também é médico, prestigiou a filha. “Eu tive uma felicidade imensa de criar três filhos maravilhosos: a Valderez, a Márcia e o Gino. A Valderez foi a única que seguiu a minha profissão”, disse. Ele comentou sobre o que sentiu pelo reconhecimento ao trabalho da filha. “Um orgulho imenso, não podia ser de outra maneira. Ela tem um tino certo para ser geriatra. Médico qualquer um pode ser, mas geriatra tem que ter vocação”, finaliza o orgulhoso pai.

 

Neusa do Rocio Foggiatto Parolin é artista plástica. Ela foi a premiada em sua categoria e disse que sentiu grande emoção pelo reconhecimento. “Adorei participar da premiação, a organização está de parabéns, eu fiquei muito emocionada”, alegrou-se. A homenageada destacou, ainda, a importância do Prêmio Anita Garibaldi, da 1ª Festa da Itália e ressaltou que outras mulheres de valor foram muito relevantes em sua trajetória.

 

Fim de mandato

 

No último dia da Festa da Itália, Benoni Manfrin também aproveitou para fazer um balanço do seu mandato. “Me sinto muito orgulhoso porque, há 3 anos, eu cheguei aqui e tinha muita expectativa, mas pouco recurso para fazer tudo que a gente conseguiu fazer”, recorda, acrescentando que a participação de outras pessoas foi fundamental para o sucesso dessa trajetória. “Através de amigos e colaboradores, conseguimos realizar uma excelente administração. Nós estamos aqui por amor, dia a dia tentando fazer o melhor possível ”, reconhece.

 

Sobre o grande evento, que durou pouco mais de 20 dias, Manfrin fez questão de demonstrar sua imensa satisfação: “Conseguir fazer essa 1ª Festa da Itália, para mim, foi maravilhoso. Eu acho que nós deixamos uma marca registrada abrindo esta casa para a comunidade de Curitiba”.

 

Os resultados da Festa foram bastante positivos. Mais de 20 mil pessoas passaram pelo Palácio Garibaldi entre os dias 07 e 28 de junho, onde conheceram um pouco mais sobre a cultura ítalo-brasileira por meio de danças folclóricas, músicas, gastronomia e exposições.

 

Pensando no futuro

 

João Felipe Ribeiro, novo diretor cultural e de relações públicas da Associação Giuseppe Garibaldi, revela que a ideia é continuar realizando eventos da magnitude da 1ª Festa da Itália, mantendo na programação, além das atrações culturais e exposições, o Prêmio Anita Garibaldi.

 

Ele fala sobre a sua dedicação ao evento, período em que ainda era diretor financeiro da entidade. “Eu consegui contribuir com o coração na verdade, sem ter muito norte, e tudo acabou acontecendo de uma forma muito interessante. Agora, nós temos a missão de fazer com que a Festa da Itália se perpetue”, diz o diretor.

 

A 1ª Festa da Itália contou com o apoio da Copel por meio do Programa de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná (Profice).

 

João Felipe Ribeiro (Foto: Eliel Ramos) 

Conheça as homenageadas no Prêmio Anita Garibaldi

 

 

1. Bertilla Boscardin Pereira | Categoria: Pioneirismo

A família de Bertilla sempre foi muito envolvida com a colonização de Santa Felicidade e foi proprietária dos moinhos de milho que levaram a região a ficar conhecida pela polenta branca. A Casa dos Gerânios, centenário imóvel curitibano, é propriedade da família Boscardin.

2. Elaine Cátia Falcade Maschio | Categoria: Literatura e Pesquisa

Nascida em Colombo, antiga colônia italiana de Alfredo Chaves, Elaine é pedagoga, historiadora e doutora em Educação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Como pesquisadora, há mais de 15 anos ajuda a escrever as histórias das escolas da imigração italiana no Paraná e a história ítalo-brasileira nas colônias.

3. Divair Pissaia Perbiche | Categoria: Tradições Italianas

 Divair é moradora da Colônia Mergulhão, em São José dos Pinhais. É uma das fundadoras do Caminho do Vinho e contribuiu para o desenvolvimento da região. Em sua propriedade, além de produzir vinhos e iguarias italianas, mantém um museu que conta a história de sua família e da localidade.

4. Flora Madalosso Bertolli | Categoria: Empreendedorismo

 Flora é uma das fundadoras do famoso e tradicional restaurante Madalosso, em atividade há mais de 50 anos e uma referência em gastronomia italiana em Curitiba. Após décadas, ela continua firme à frente da cozinha dos restaurantes que carregam o seu sobrenome. Os empreendimentos da família Madalosso atraem frequentemente milhares de turistas.

5. Louise Pereira Gionedis | Categoria: Ação Social

 Mestre em Direito Econômico e Empresarial pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Louise é sócia-fundadora da Pereira Gionedis Advogados. É Embaixadora da Paz nomeada pela Universal Peace Federation, além de membro do Instituto Brasileiro de Direito (IBD) e do Conselho Estadual da Mulher, entre outras instituições da área do Direito. É autora e coordenadora de diversos livros e publicações e também já publicou diversos artigos em veículos jurídicos.

6. Lúcia Maria Pavão | Categoria: Serviços Consulares

(representada pelo esposo, Emílio)

Formada em Administração pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Lúcia é funcionária do Consulado Geral da Itália em Curitiba há quase 40 anos. Atua no setor Cultural, Previdenciário e Notarial, mas já atuou também em outros setores consulares como Anagrafe, Cidadania e Emissão de Passaportes. No Prêmio Anita Garibaldi, foi representada pelo seu esposo, Emílio.

7. Maria Silvia Bacila | Categoria: Educação

Atual secretária Municipal de Educação de Curitiba e doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Dentre os diversos cargos diretivos que já ocupou, destacam-se o de chefe do Departamento de Educação da Pró-reitoria de Graduação e Educação Profissional da UTFPR e o de formadora e coordenadora adjunta do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Maria Silvia é integrante do Grupo de Pesquisa Transmutare, com ênfase em estudos sobre o Desenvolvimento Profissional Docente, além de membro do Grupo de Pesquisa Práxis Educativa - dimensões e processos, na PUC-PR.

8. Neusa do Rocio Foggiatto Parolin | Categoria: Artes Plásticas

Natural de São José dos Pinhais e hoje moradora do bairro Umbará, em Curitiba, Neusa é artista plástica. Já expôs suas obras em exposições individuais e coletivas, em diversas cidades, e hoje é um empreendedora do ramo. Atua na comunidade com trabalhos voluntários e já foi premiada pelo seu trabalho artístico.

9. Ragnhild Borgomanero | Categoria: Tradições Garibaldinas

Ragnhild é alemã. Possui formação em nutrição e dietologia, além de professora na área, com atuação em diversos países europeus. Casada com o diplomata Guido Borgomanero, ex-cônsul geral da Itália no Paraná e em Santa Catarina, é fluente em alemão, norueguês, italiano, português, inglês e francês. Como moradora de Curitiba há muitos anos, já fez parte de diversas instituições, sendo uma delas a Associação Giuseppe Garibaldi, onde atuou como diretora cultural. É sócia-fundadora do Instituto Bom Pastor e foi vice-presidente do Instituto Fondazione Italia. Ragnhild já organizou mais de 100 eventos musicais e recebeu importantes homenagens.

10. Valderez Parolin Teixeira | Categoria: Saúde e Medicina

Curitibana, Valderez é médica geriatra, formada pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Cresceu em Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), onde iniciou sua atuação profissional e também onde ocupou o cargo de vice-prefeita, no início dos anos 2000. Foi colunista de periódicos locais e coautora do livro Antologia do Centro de Letras de Campo Largo. 

11. Eva Patrícia Broto Araújo | Homenagem surpresa

Patrícia, como é conhecida pelos frequentadores do Palácio Garibaldi, está à frente das funções administrativas do espaço e também da Associação Giuseppe Garibaldi, há cerca de 5 anos. É ela quem recepciona os noivos que buscam o Palácio para a realização do grande dia, bem como os interessados em saber um pouco mais sobre a história do lugar. Foi homenageada no Prêmio Anita Garibaldi pelo seu empenho e dedicação às atividades garibaldinas, bem como pela sua impecável atuação em prol da 1ª Festa da Itália.

 

 

 

Fotos: Eliel Ramos

 

Please reload

Últimas notícias

Please reload

Tags
 Palácio Garibaldi - Espaço para Eventos Curitiba